segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

A Ignorância é Uma Benção...

Os dias se repetindo inúmeras vezes, o dejavu do cotidiano, um fato que por mais que você tente, infelizmente não é possível alterar, não sei se por falta de vontade, quem sabe por falta de opção, não ouso discutir sobre isso, mas seria tão bom se ser apenas você sabe, só aquilo que você é, sem pretensões de no futuro ser algo melhor, se só o presente já fosse o bastante, sei que alguns dias isso parece possível, mas este dia como todos os outros sempre chega ao fim, e quando o sol se põe e nasce novamente, tudo que te prova que não é o bastante, de que ainda falta um algo mais.

Não queria olhar pras pessoas ao meu redor e ver apenas mentirosos com suas mascaras de sorrisos, queria poder ao menos uma vez acreditar, infelizmente, a ignorância não é uma benção destinada a todos, infelizmente alguns poucos precisam ver as coisas como elas são e se tiverem força, quem sabe tentar mudá-las, ou apenas sobreviver a elas... as vezes penso que poderia ser diferente, que algumas escolhas que fiz fizeram de mim um pouco mais medíocre do que eu deveria ser. Já me peguei pensando muitas vezes tentando lembrar algo em que eu seja realmente bom sabe, não só na média, mas quem sabe até o melhor, e só lembro de coisas que eu costumava ser bom, e ai, não consigo evitar de pensar, quando foi que parei de ser o melhor para apenas ser um dos melhores até que nem isso eu fui mais, quando parei de me contentar com o primeiro lugar para ser apenas um dos primeiros... e se quem sabe, não estou errado sobre tudo e todos..

"Todos mentem viver com essas mentiras é o que nos torna felizes" Foi o que disse o Excêntrico Dr. House em um de seus episódios, queria poder dizer que é mentira, ou até mesmo discordar, mas acho que acabei abraçando esta filosofia quase como se fosse minha, é triste viver um mundo de mentiras, mas acreditem, é muito pior viver uma verdade num mundo de mentiras, onde você não pode nem mesmo quando quer, acreditar em nenhuma palavra ou gesto vindo das pessoas ao seu redor. mais uma vez, a ignorância se mostra uma benção.

estou a uma semana quase sem escrever aqui(sem internet em casa) e notei que senti mais falta disso, mais falta das pessoas que conheci aqui através de comentários do que da vida real cheia de pessoas reais incapazes de provocar qualquer tipo de sentimento real em mim, serie eu tão insensível assim, terei eu calejado a pele tanto assim a ponto de não mais conseguir sorrir com as brincadeiras ou com as conversas fiadas, é difícil rir de uma historia contada como mérito quando já se sabe que não é verdade, é difícil ficar excitado com uma aventura contada aos amigos quando você sabe que esta também não é verdade, difícil ficar nervoso com um eu te amo, ou um sinto sua falta, quando você melhor do que ninguém sabe que isso não é verdade, não posso pedir que entendam quando nem eu mesmo posso entender, mas já fico feliz de compartilhar, as vezes penso que me expor assim chega a ser ridículo, mas lendo os textos de outros por ai eu acabo aceitando, quem sabe não sou eu um escritor da liberdade, ao menos nessa liberdade eu ainda acredito, e como eu disse no meu primeiro post, quem sabe minhas palavras mesmo que um tanto desconexas, não façam a diferença para alguém...

Boa Noite e um bom dia aos que vivem na noite e por aqui passarem...

10 comentários:

Dauri Batisti disse...

Pois é rapaz,

é assim, escrever faz a diferença. Na verdade o escrever, sendo mais lento que o falar, exige um pensamento a mais, aquele que seria desprezado, mas que pela escrita poderá ser exatamente o melhor, o mais brilhante.

Obrigado pela visita ao "essapalavra".

Dauri Batisti

Mike disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alice disse...

.. é isso aí ! bem escrito, bem pensado , envolventee o melhor: ensina-nos.
Parabens.
Abraços

Lizzie disse...

Sem internet em casa? :( Que ruim.
Bom, a ignorância pode ser uma bênção aos que se crêem que essas nossas 'dores interiores' são maléficas. Aos que encaram como benéficas, a inteligência é que é uma bênção...
Concordo com você no post. Também me sinto com certa 'estafa' às vezes!
Beijão!





www.lizziepohlmann.com

Mike disse...

Grande John
Q bom q vc voltou
Qto as máscaras, é foda
Mas não há muito o q fazer
O lance é esquecer em casa ou não, não deixa de ser uma cápsula protetora, q nos guarda da solidão (pelo menos ilusoriamente)
Grande abraço

Mike disse...

Vc disse que gostaria que tivessem tantos festivais assim na sua cidade... Mas me diga, onde vc mora?
Além de saber que vc tem 22 anos e provavelmente se chamar João, John Doe continua uma incógnita...

Mila disse...

O Mike anda curioso para desvendar as identidades secretas dos blogueiros.
rsrs
***
Essa vida de Blog é estranha mesmo. De vez em quando percebo que tenho mais carinho pelas pessoas que comentam na Caixa do que por algumas pessoas que palpitam na minha vida, achando que me conhecem, quando, na verdade, tudo que elas viram de mim é o que eu sou por fora.
Poucas me conhecem por dentro. O que eu mostro no Blog é, muitas vezes, muito mais do que eu mostro para quem convive comigo e acha que sabe quem eu sou.
***
Obrigada pelas visitas na Caixa e no 3 da 7 (em coma. rs) e pelos elogios. Fiquei me sentindo... rsrs

Beijo

Jacinta disse...

"Quem sabe n�o sou um escritor da liberdade":bonito isso. E escrever nos d� essa possibilidade. Juntando palavra � palavra, assim, com a exig�ncia de se pensar o escrever, vamos construindo nossa verdade.
Bjos

Jacinta

Lyani disse...

Eu também as vezes acho que perdi "aquela fé enorme em alguma coisa" (Caio F.)Mas quando menos se espera, ela está lá!

É, li num blog que "tem os que vivem, e os enche-mundo". E é assim que é a vida... vivemos de máscaras, somos tantos e nenhum desses somos nós mesmo. Não podemos ser, a sociedade não aceitaria.

É difícil né?
Mas agente se acostuma... como com tudo!

Bjos

Jean Carlos disse...

Me sinto triste em ouvir isto, espero não ter sido umas destas pessoas com uma mascara! Pois não fui perfeito, fui egoista as vezes, melodramatico as vezes, alegre muitas vezes, inseguro as vezes, teimosso as vezes, arrogante as vezes, ignorante as vezes! Mas falso eu numca fui... talvez escondi coisas aqui dentro, mas numca deixei de contar na hora certa mesmo que isto me torna-se uma pessoa que deus possa não se orgulhar, mas numca deixei de tentar dar o melhor de mim para Deus, e para as pessoas que são importantes pra mim!

"Se eu quise-se ter sido falso teria apenas contado o que tinha de bom em mim e sido falsamente esforçado! Numca pedido perdão, e sempre me aproveitado da situação!"