quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Perdas e Danos...

Bom dia mais uma vez, com está frase já quebrei meu próprio recorde, afinal ainda estou aqui e esse já é meu segundo post, queria já ter uma proposta certa do que vou fazer neste blog, mas ainda não será hoje, hoje só quero poder colocar pra fora algumas coisas, coisas como aquele sentimento de perda, por que quando se perde algo, ou alguém que se ama muito é só isso que você sente quando as coisas não vão bem, não sei por que este sentimento é tão forte por que sempre está lá mesmo sem ser convidado mesmo sem motivos, ele simplesmente aparece e tudo ao seu redor fica mais escuro e sem vida.

Não quero ficar chorando magoas por aqui, apesar deste ser meu caderno e seria justo fazer isso se pensarmos dessa forma, mas o que eu quero é organizar minhas próprias idéias, quero entender como. Sei que meus problemas não são os piores e nem os mais difíceis de se suportar, mas ainda assim. Sei que deveria relevar tudo isso, sei que eu posso ser o que quiser ser, sei que a minha vida o meu passado e as circunstancias não é o que sou e nem servem de justificativa para não fazer o melhor que posso, mas é que quando se perde alguém, parece que nada disso faz sentido, já que tudo que você tem e ama pode ser tirado de você assim em segundos.

Passei os últimos dias tentando achar uma resposta, tentando justificar os meus problemas, e negando a possibilidade de que talvez o problema esteja em mim, negando que talvez eu não esteja fazendo o bastante negando que talvez os meus problemas sejam fruto da minha preguiça e da comodidade de simplesmente sentar e culpar a tudo e a todos.

“Na terra dos preguiçosos o mundo prega peças em você” (Californication)

Pode ser uma frase de uma série qualquer, mas isso é verdade, o tempo passa e você já está tão acostumado a ver a vida passar e pensar que assim está vivendo que quando abre os olhos você já perdeu muito mais do que podia.

No primeiro post falei em talvez escrever algo forte e cheio de impacto, falando sobre as injustiças da vida, pois bem, acho que já temos o bastante disso nesse texto.

O bom de escrever durante a madrugada, é que no final do texto você tem sempre a esperança de um novo dia, novas tentativas e novas oportunidades... Tenham uma boa noite e nos vemos outra vez amanhã, assim espero.

4 comentários:

Lyani disse...

Um tanto melancólico, mas ao menos... deixou uma luz brilhar no fim do túnel.

Esperamos que não seja um trem! rs

Bjos^^

Vi disse...

Oie!
Obrigada pela sua visita lá no meu cantinho bloguistico!!!
Boa sorte na sua escrita! Manter um blog é ótimo para escrever sobre muitas coisas que a gente gostar, dar opinião e conhecer pesoas.
Abraços, Vi!

Baladeira disse...

"O bom de escrever durante a madrugada, é que no final do texto você tem sempre a esperança de um novo dia, novas tentativas e novas oportunidades... "

Adorei isso, sabe?

Mas quero dizer que não basta apenas ter a esperança, se não a transformamos em ações para as novas tentativas ou no poder de enxergar a novas oportunidades...

Anyway, you will be fine!

Bjs

Jean Carlos disse...

Amo mais o inicio do que o fim, rs! Pois o inicio é sempre mais direto e sincero! Mas falando sobre o texto... a vida é uma série de escolhas, ações e reações! E ser sincero é a chave para tudo! Se vc ama diga q ama, se sente raiva diga q sente raiva! assim como vi a melhor qualidade em vc que não quero acreditar que um dia vc possa perder "Ser uma Criança"