domingo, 29 de maio de 2011

Solidão...

Era Noite, talvez não, não saberia dizer realmente, naquele lugar toda luz que me restara, tremulava lentamente ao meu lado dando vida as criaturas escuras que dançavam a parede a minha frente, No exílio de minha alma, meu coração ardia em busca de algo, de alguma coisa, algum lugar... O tempo passa de um jeito diferente quando se esta sozinho, mas não foi sempre assim, lembro de um tempo quando havia luz, cores, havia alegria e de alguma forma eu sinto que nem sempre estive sozinho, como se algo em mim pudesse lembrar de um tempo distante quase irreal, quase?

Quando a Loucura toma conta das suas idéias a única coisa que o mantém vivo é a certeza, a única e absoluta certeza de que se esta vivo e a esperança de que se assim permanecer, talvez algo aconteça, algo mude, e vocês não vão entender o quão importante pode ser uma simples mudança para alguém a beira da loucura a deriva da solidão.

5 comentários:

Meus Momentos disse...

Otimo como sempre... apenas meio deprimente...kkkk

Jéssica Caramori disse...

Excelente!

Patrícia disse...

Exato! Exato...

Gil disse...

É muita filosofia!! rs
Abraços amigo.

Léia disse...

Olá!

Adoro construção de textos assim: filosoficamente triste... e poéticos também me agradam muito!

Impossível não amar Lispector, sou suspeita, sou super fã dela.

Bjs.