domingo, 17 de agosto de 2008

See You Later... I Find...

Nunca achei que diria isso, mas tenho medo destas linhas, tenho medo do que elas representam, tenho me escondido deste recanto a algumas semanas, não sei por que mas o fato de escrever aqui me remete a pensar nas minhas decisões pensar na minha vida e o que esta acontecendo com ela no momento e acreditem, isso não é algo sobre o que eu queira refletir, não que seja uma grande burrada, relaxem, não andei fazendo nada muito além dos limites, mas não gosto de como as coisas estão, e de alguma forma, me ocupar com as futilidades estúpidas e corriqueiras da vida foram a minha fuga ideal, afinal fica difícil pensar na vida enquanto se esconde nas mascaras, sabe aquelas das quais falamos aqui a não muito tempo atrás, acho que finalmente descobri por que as pessoas gastam seus tempos com festas e futilidades.

É realmente mais fácil fingir que nada aconteceu, que esta tudo bem quando as piores coisas que podem te acontecer é uma pontada na cabeça no dia seguinte que pode facilmente ser resolvida com mais alguns copos, por favor, não se ofendam os que optaram por tal fuga, eu mesmo simpatizei muito com ela, tem me sido bem útil até aqui e espero que me sirva por algumas paginas a mais, por que mesmo escrevendo aqui hoje, ainda não estou pronto a voltar para realidade, o mundo é tão difícil quando se está sóbrio e não estou falando só não sentido figurado, acho que cada um tem sua maneira de ficar fora do que supostamente chamamos de realidade, e minha não é realmente o álcool ou qualquer outra coisa desse tipo, espero que não estejam decepcionados com a revelação, mas tenho meus meios de me auto destruir e fugir do mundo real, mesmo quando ele insiste em bater incessantemente a porta mesmo quando ele joga na sua cara o quão estúpido você pode ser.

Vocês devem estar se perguntando se não estou aqui escrevendo para reavaliar a situação o que estou fazendo aqui, bem, acho que estou apenas entregando os pontos, pois aqui estou eu, contradizendo tudo que um dia acreditei, perdi a fé, e a esperança tudo ao mesmo tempo e não sei como ou se algum dia, irei recuperá-la sei apenas que todos estavam certos no final das contas, no fim, não existe pessoa no mundo que não possa ser corrompida, não existe quem não tenha realmente seu preço, todos, todos tem um preço nesse mundo, até mesmo eu.

Não que eu de alguma forma me achasse superior a qualquer outro, sei que não sou melhor que ninguém, mas eu sempre achei que o que eu pensava, a minha fé, meus sonhos, tudo isso determinava o quem eu realmente era, e ver tudo isso cair abriu meus olhos pra realidade mais uma vez. Não quero mais falar sobre isso, sei que ficou tudo bagunçado e pra maioria isso vai parecer um monte de besteiras amontoadas e sem sentido, mas tudo bem, não tem importância de qualquer jeito, só achei o que de certa forma devia alguma explicação para algumas pessoas que insistem em visitar-me por aqui, a estes fica o aviso, não pensem nestas palavras como um retorno nem um fim, só como um até breve...

10 comentários:

Camilinha disse...

a generalizacão das coisas formam esteriótipos crueis. Você tem razão, o atalho é sempre mais curto, mas pode ser mais perigoso.


beijos daqui...

Dauri Batisti disse...

Nem um retorno, nem um fim, só um até breve... Okay. Tudo é provisório mesmo.Tudo bem. Visitar o caderno não é uma insistência, é um encontro.

BAh disse...

Não entendi muito bem. Ou melhor, não entendi coisa alguma. Só espero que você, com essa ausência, consiga colocar sua cabeça, suas idéias, sua vida em ordem. Espero que reencontre a fé e o que mais vc perdeu pelo caminho.
Precisando, estamos aí.

Até

Estava Perdida no Mar disse...

É realmente mais fácil fingir que nada aconteceu. Pena que eu nunca consigo fazer isso. Enquanto eu não entender e não aceitar...não sei deixar de lado.

Allan disse...

O mundo real é uma bagunça. Não se trata de evitá-lo, posto que incontestavelmente em algum momento ele tangencia qualquer outra realidade. Mas eu mereço a realidade que eu crio. E cada um pode fazer isso (sem haver a necessidade de um psicotrópico qualquer): é só a sua forma de lidar com o mundo que pode te deixar mais feliz. A vida é tão curta para a gente ficar mais de dois minutos tristes... Abraços e melhoras

Espiral Psicodélico disse...

Não vou dizer que entendi tudo o que você quis dizer, mas também não posso dizer que é loucura ou palavras em vão. Você escreveu o que sente, como se sente... sem máscaras! E só isso já é uma bela tentativa de pôr ordem nas coisas.

Costumo dizer que escrever é se tornar terceira pessoa. A gente não diz sempre que "Quem tá de fora vê melhor"? Então, escrevendo a gente se vê 'de fora' e, ao menos pra mim, fica mais fácil compreender certas confusões internas. Sou a favor de escrever sempre. Espero que funcione com você! ;-)

E lembre-se: precisando, tamos aí!

Um beijo,
Lu

Lyani disse...

Não são de forma nenhuma baboseiras, são palavras sem máscaras que de alguma forma te ajudaram no momento em que as escreveu. Saiu, suspirou, pensou melhor. Tudo muda...
Agente acha que as coisas vão ser eternas e não são... quando agente pensa que já viu tudo, vem coisa mais por aí...
Não dá pra dizer, ACABOU, FIM. Pq agente nunca sabe quando recomeça de novo... pior, melhor, quem pode dizer?
Força!
Bjosss
Ly

Lyani disse...

Tem presente pra vc no meu blog!!! =D
bjos

João Francisco Viégas disse...

"me diz como fugir do que levamos por dentro..."
Uma musica da Ana Carolina diz assim, e é assim mesmo!!
Abraço!

Di disse...

Me pareceu fim de ciclo e começo de outro.
Espero que esteja tudo bem por aí.
beijo